Notícias

Agravamento das consequências da seca é culpa das gestões do PT, diz tucano

Os cenários de seca extrema cresceram no Nordeste do Brasil e abrangem todos os nove estados da região, batendo recordes nos últimos cinco anos. A falta de água deste 2016 é considerada a maior em pelo menos 106 anos de medições. Até mesmo o Ceará, estado com maior número de depósitos de água da região, está em situação crítica devido à falta de chuvas. Dos 153 principais reservatórios do Estado, 135 estão com volumes de água inferiores a 30%.

Os cenários de seca extrema cresceram no Nordeste do Brasil e abrangem todos os nove estados da região, batendo recordes nos últimos cinco anos. A falta de água deste 2016 é considerada a maior em pelo menos 106 anos de medições. Até mesmo o Ceará, estado com maior número de depósitos de água da região, está em situação crítica devido à falta de chuvas. Dos 153 principais reservatórios do Estado, 135 estão com volumes de água inferiores a 30%. De acordo com o Ministério da Integração Nacional, há 975 municípios do Nordeste reconhecidos pelo governo como em situação de seca ou estiagem.

A comissão externa da Câmara que acompanha os projetos de revitalização do Rio São Francisco e sua integração com outras bacias hidrográficas do Nordeste tem alertado o governo federal para a situação desde a sua criação, em 2015, e cobrou do presidente Michel Temer celeridade nas obras da transposição. O presidente da comissão, o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE), afirma que parte da responsabilidade por este caos vivido pelos nordestinos é dos governos petistas. Ele compara a postura dos governos Lula e Dilma com a da gestão atual.

“Anteriormente a gente observava um certo descaso, na época do ex-presidente Lula, da ex-presidente Dilma, com a obra da Transposição. [Lula e Dilma] Usavam muito mais a obra como palanque político na época das eleições. E terminadas as eleições, diminuíam o ritmo das obras. Tão logo o presidente Temer assumiu, nós estivemos com ele e pedimos celeridade às obras para amenizar a situação do povo nordestino”, declarou.

Assim que assumiu o governo, o presidente Michel Temer pagou as dívidas deixadas pelo governo do PT junto às empreiteiras responsáveis pelas obras que podem levar um alento às famílias que sofrem devido a seca severa. Hoje ainda, Temer anunciou o repasse de mais R$ 755 milhões para 759 municípios de 15 estados afetados. Gomes de Matos também alerta que é necessário um trabalho de conscientização para o uso dos recursos hídricos.

“Nós precisamos fazer programas de convivência com o semiárido. Precisamos fazer nas escolas ter questões da educação em termos de água e criar a cultura do reuso da água. Eu também já apresentei uma emenda ao Orçamento para que nós possamos levar a frente os projetos de integração de bacias. Existe um reservatório do Rio Tocantins que tem muita água e que não é praticamente utilizada. E esse projeto que apresentamos é justamente para interligar o rio e aumentar o volume de água para o Nordeste”, acrescentou.

Outra medida de Temer será implementar cisternas em todas as escolas do semiárido, beneficiando 595 mil alunos. Os estados considerados em situação mais crítica receberão dinheiro: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Sergipe. Além da previsão de construção de cisternas, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinou ontem um contrato com o governo federal para emprestar bombas do sistema Cantareira para a Paraíba e Pernambuco.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2hkNhom