Notícias

Aluguel de apartamento em São Bernardo era acerto com amigo de Lula, diz proprietário

Após ser o pivô da última ação penal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o engenheiro Glaucos da Costamarques afirmou aos investigadores da Operação Lava Jato que o valor pelo aluguel de um apartamento de sua propriedade usado pelo petista era repassado diretamente a ele pelo advogado e amigo de Lula, Roberto Teixeira. Segundo ele, na prática, Teixeira não pagava o aluguel, pois o valor era usado como compensação por uma “assessoria sobre imóveis” que ele prestava.

Brasília (DF) – Após ser o pivô da última ação penal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o engenheiro Glaucos da Costamarques afirmou aos investigadores da Operação Lava Jato que o valor pelo aluguel de um apartamento de sua propriedade usado pelo petista era repassado diretamente a ele pelo advogado e amigo de Lula, Roberto Teixeira. Segundo ele, na prática, Teixeira não pagava o aluguel, pois o valor era usado como compensação por uma “assessoria sobre imóveis” que ele prestava.

O apartamento a que ele se refere é em São Bernardo do Campo (SP) e fica no mesmo prédio do imóvel em que o ex-presidente mora. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo desta terça-feira (27), o engenheiro, que é primo distante do pecuarista José Carlos Bumlai, disse que não contabilizava os rendimentos com o imóvel porque “não achava necessário”.

Para a acusação, a Odebrecht está por trás da aquisição da unidade, como forma de beneficiar Lula. Procuradores da Lava Jato sustentam que Costamarques era um “testa de ferro” do petista.

A Lava Jato apontou que, para arcar com a compra da unidade, o engenheiro teria recebido em 2010 R$ 800 mil da DAG Construtora, que por sua vez havia obtido repasses da Odebrecht.

A história faz parte da denúncia aceita pelo juiz federal Sergio Moro, no último dia 20, quando Lula se tornou réu pela quinta vez. A falta de pagamentos de aluguel pelo ex-presidente é um dos principais argumentos da acusação na ação.

Segundo a reportagem, a investigação rastreou as contas bancárias do petista e não encontrou os repasses, embora o ex-presidente tenha declarado os gastos desse aluguel no Imposto de Renda. O engenheiro disse anteriormente à Polícia Federal (PF) que o valor “de alguns aluguéis” foi pago em espécie.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2htQiI0