Notícias

Atendimento da Secretaria de Educação do Pará integra alunos surdos e familiares

Para comemorar o Dia Nacional do Surdo, transcorrido na segunda-feira (26), o Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento à Pessoa Surda (CAS) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) promoveu nesta terça-feira (27) programação reunindo alunos, pais de alunos e professores na unidade.

27 de setembro de 2016

Para comemorar o Dia Nacional do Surdo, transcorrido na segunda-feira (26), o Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento à Pessoa Surda (CAS) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) promoveu nesta terça-feira (27) programação reunindo alunos, pais de alunos e professores na unidade.

O CAS funciona na área da Escola Estadual Albinízia de Oliveira Lima, na avenida Almirante Barroso, no bairro de São Brás, e atende a 450 pessoas, entre estudantes surdos matriculados na rede pública estadual, e ouvintes, como alunos, professores (que atuam na rede), pais de alunos surdos e estudantes universitários concluintes de cursos.

Da programação participaram o aluno Ryllerson Carneiro Brito, 9 anos, e a mãe dele, Claudionora Carneiro Brito, 44 anos. Ryllerson faz o 5o ano na Unidade Educacional Especializada Professor Astério de Campos, e é atenddo no CAS. A família mora no Distrito Industrial de Ananindeua.

“Eu sou aluna de Libras (Língua Brasileira de Sinais) aqui no CAS para interagir com ele. O meu filho é atendido no CAS há dois anos. Ele tem um implante coclear e fala por Libras. Eu noto que ele gosta de estudar, nadar, dançar e gosta de futebol. É torcedor do Remo”, destacou a dona de casa Claudionora.

Outros pais decidiram investir na aprendizagem de Libras para se comunicar com os filhos. Ao todo, são 40 pessoas. “A partir do uso da Libras, os cidadãos surdos saem do isolamento na própria família, trabalham, aumentam a auto estima, ganham confiança. Todo cidadão deveria aprender Libras, porque se não for assim, o surdo ficará excluído do conjunto da sociedade”, afirmou o coordenador do CAS, professor Giovanni Corrêa.

Cidadania

Dezoito profissionais atuam no Centro, entre professores, psicólogos, assistentes sociais e técnicos pedagógicos. Na rede pública estadual, são 1.527 estudantes surdos, a maioria deles em Belém. Somente no CAS são atendidos 450 alunos por semestre, fora o atendimento feito em outras unidades da Seduc.

O atendimento dos alunos surdos e ouvintes no CAS se dá por meio dos projetos: Língua Portuguesa para Surdos, como segundo idioma para esses cidadãos; Letramento do Português e da Matemática; curso de Libras e mais um acervo de material didático e de uma biblioteca.

No projeto de Língua Portuguesa os alunos aprendem a ler e a escrever com base nas normas gramaticais, algo fundamental para a continuidade dos estudos deles. O atendimento aos alunos da rede estadual ocorre no contraturno das aulas.

Quem também participou da programação no CAS foi Bruna Késia Peniche, 20 anos. Ela está no primeiro semestre do curso de Letras – Libras, da Universidade do Estado do Pará (Uepa). Há dois anos, Bruna é aluna do CAS. Antes da Uepa, Bruna era aluna da Escola Estadual Jarbas Passarinho, no bairro do Marco. “Aqui, eu aprendo, me desenvolvo. Eu quero me formar e vir lecionar aqui, no CAS”, declarou a estudante.

*Do portal do governo do Pará

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2d6IZF7