Notícias

Banco Central bloqueia mais de R$ 30 milhões de contas e empresa de Antonio Palocci

O Banco Central bloqueou, nesta quarta-feira, R$ 814 mil de três contas do ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda Antonio Palocci, além de outros R$ 30 milhões de sua empresa de consultoria, a Projeto Consultoria Empresarial Financeira. O petista, preso temporariamente desde segunda-feira (26), é suspeito de receber propina para atuar em favor da empreiteira Odebrecht entre 2006 e 2013.

28 de setembro de 2016

O Banco Central bloqueou, nesta quarta-feira, R$ 814 mil de três contas do ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda Antonio Palocci, além de outros R$ 30 milhões de sua empresa de consultoria, a Projeto Consultoria Empresarial Financeira. O petista, preso temporariamente desde segunda-feira (26), é suspeito de receber propina para atuar em favor da empreiteira Odebrecht entre 2006 e 2013. As informações são de matéria publicada pelo portal G1.

O deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE) destacou a atuação do Banco Central e da Polícia Federal no episódio. Para ele, as irregularidades envolvendo petistas reveladas pela Operação Lava Jato demonstram a extensão do projeto de manutenção no poder a qualquer custo implantado pelo PT.

“O Banco Central efetivamente tem cumprido com o seu papel, lado a lado com a Polícia Federal, fazendo com que nós possamos passar o Brasil a limpo, e nós acreditamos que isso confirma tudo o que nós do PSDB já vínhamos tornando público, inclusive na eleição passada”, disse o tucano. “O ex-ministro Palocci, desde a época do governo Lula, já era, junto com o José Dirceu, um dos mentores da consolidação da corrupção para permanecer no poder”, acrescentou Gomes de Matos.

Improbidade

Além de ter sido preso e de ter suas contas bloqueadas, Palocci ainda é alvo de duas outras investigações de improbidade administrativa por suspeita de enriquecimento ilícito. Segundo matéria do G1, as ações foram instauradas pela Procuradoria da República no DF no início de setembro e apuram dois contratos firmados pela empresa de consultoria do ex-ministro.

Para Raimundo Gomes de Matos, as inúmeras denúncias envolvendo não apenas Palocci como várias outras importantes figuras do PT revelam a naturalização da corrupção durante os governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

“Você observa dois tesoureiros do PT presos, o próprio José Dirceu, o Palocci, o Paulo Bernardo, todos eles, de um modo ou outro, por corrupção, e o presidente Lula e a presidente Dilma com certeza tinham conhecimento de tudo isso, até porque os maiores beneficiados eram eles”, avaliou o parlamentar.

Clique aqui e aqui para ler as matérias do G1.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2dCvJ73