Notícias

“Bruno imprime novo ritmo ao Ministério e mostra bom senso no uso de recursos públicos”, diz Guilherme Coelho

Além das unidades habitacionais que vem entregando pelo país, através do programa Minha Casa, Minha Vida, o ministério das Cidades, sob o comando do tucano Bruno Araújo (PE), autorizou o remanejamento de recursos da Caixa Econômica Federal que financiam imóveis com valores entre R$ 225 mil e R$ 500 mil. O deputado federal Guilherme Coelho (PSDB-PE) avalia que a decisão só confirma o “novo ritmo” que o ministro vem dando à pasta.

6 de julho de 2016

Além das unidades habitacionais que vem entregando pelo país, através do programa Minha Casa, Minha Vida, o ministério das Cidades, sob o comando do tucano Bruno Araújo (PE), autorizou o remanejamento de recursos da Caixa Econômica Federal que financiam imóveis com valores entre R$ 225 mil e R$ 500 mil.

O deputado federal Guilherme Coelho (PSDB-PE) avalia que a decisão só confirma o “novo ritmo” que o ministro vem dando à pasta. “Bruno Araújo impõe um novo ritmo ao Ministério das Cidades, e identifica as reais demandas da população. Essa abertura de crédito para atingir a faixa intermediária denota equilíbrio e bom senso no uso de recursos públicos”, avaliou.

Diante da redução da disponibilidade de dinheiro para os imóveis que estão fora dessa faixa de valores, o governo federal decidiu liberar o uso de mais R$1,724 bilhão para esses financiamentos.
A decisão foi tomada pela pasta a pedido da Caixa e do Banco do Brasil, com o objetivo de ampliar os recursos para a faixa intermediária nessa linha de crédito, de acordo com informações publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

A linha Pró-Cotista, que inclui os imóveis entre R$ 225 mil e R$ 500 mil, abrange trabalhadores com pelo menos três anos de vínculo com o FGTS. Além disso, eles precisam estar trabalhando ou ter saldo na conta do FGTS de pelo menos 10% do valor do imóvel. Os juros cobrados para essa linha são de 8,66% ao ano, bem abaixo dos contratos firmados com recursos da poupança, que hoje custam ao mutuário mais de 10% ao ano.

*Da Assessoria de Imprensa do PSDB-PE

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/29t67t5