Notícias

Com país em crise e falta de alimentos, venezuelanos vivem em abrigo improvisado em Roraima

As consequências da ditadura bolivariana perpetuada pelo presidente Nicolás Maduro na Venezuela continuam a afetar a população do país vizinho, que tem buscado ajuda no Brasil. Com uma crise econômica de proporções épicas e a escassez de alimentos e empregos, muitos venezuelanos têm imigrado ao Brasil para viver em abrigos como o Centro de Referência ao Imigrante, improvisado em um ginásio poliesportivo de Boa Vista (RR).

Brasília (DF) – As consequências da ditadura bolivariana perpetuada pelo presidente Nicolás Maduro na Venezuela continuam a afetar a população do país vizinho, que tem buscado ajuda no Brasil. Com uma crise econômica de proporções épicas e a escassez de alimentos e empregos, muitos venezuelanos têm imigrado ao Brasil para viver em abrigos como o Centro de Referência ao Imigrante, improvisado em um ginásio poliesportivo de Boa Vista (RR). As informações são de reportagem desta quinta-feira (05) do portal G1.

Lá, 157 imigrantes dividem quatro banheiros e duas tendas de banho, construídas com lona e madeira sobre o chão de areia, e têm acesso a uma cozinha e uma despensa. Muitos dormem em papelões espalhados pelo chão, inclusive crianças e bebês. Segundo a Defesa Civil de Roraima, responsável pelo centro, mais de 90% dos venezuelanos no local são indígenas, entre regularizados no Brasil e outros sem permanência legal.

Apesar das condições insalubres, o consenso entre os abrigados no local é que a situação no Brasil ainda é melhor do que as dificuldades que viviam na Venezuela. É o que diz Leonarda Baes, de 48 anos. Ela e os três filhos adultos chegaram ao Brasil há 40 dias, e dormiram por 35 dias na rodoviária da capital de Roraima até serem convidados a ser mudar para o centro.

“Estamos dormindo no chão, estamos sem trabalho, mas a situação está melhor aqui no Brasil do que na Venezuela. Lá não há comida. Só fazíamos uma refeição ao dia. Aqui, mesmo na rodoviária, sempre nos levavam comida”, disse ela ao G1.

Ao mesmo tempo em que o Brasil viu a pior crise econômica de sua história intensificada pelos erros das gestões petistas, dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, a aliada Venezuela sofre com os desmandos do governo Maduro. Desde 2015, imigrantes venezuelanos têm ido à Roraima em busca de melhores condições de vida. De acordo com a Polícia Federal, os pedidos de refúgio no Brasil cresceram mais de 7.000% nos últimos dois anos. Em 2016, centenas de venezuelanos em situação irregular foram deportados só de Roraima.

A quantidade de pessoas do país vizinho procurando abrigo no Brasil, principalmente em Roraima, tem afetado a rotina da cidade e serviços básicos como a saúde. Em dezembro do ano passado, a governadora do estado, Suely Campos (PP), decretou situação de emergência na Saúde de Boa Vista e Pacaraima, na fronteira com a Venezuela, em razão do grande número de imigrantes nas duas cidades. Em resposta, o ministro da Saúde Ricardo Barros visitou hospitais na região e anunciou um repasse de R$ 3,7 milhões em recursos para cuidar dos imigrantes.

Leia AQUI a íntegra da reportagem do portal G1.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2hZ8bJY