Notícias

Aécio: “Resgatamos o nosso legado do PSDB de forma absolutamente clara quando apontamos caminhos corajosos para o Brasil, ainda na campanha eleitoral de 2014".

Defesa das bandeiras históricas do PSDB fez partido crescer, diz Aécio

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, ressaltou hoje (31/10) que o crescimento expressivo do partido nas eleições municipais deste ano mostra que foi acertada a decisão de resgatar, a partir de 2014, as bandeiras históricas da legenda. Em entrevista coletiva no Senado, onde fez um balanço da votação do partido em todo país, Aécio afirmou que a legenda tomou um caminho corajoso de denunciar os erros cometidos pelo governo do PT, de defender o impeachment da ex-presidente Dilma e ao apresentarão governo Temer uma agenda de reformas para o país.

Defesa das bandeiras históricas do PSDB fez partido crescer, diz Aécio

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, ressaltou hoje (31/10) que o crescimento expressivo do partido nas eleições municipais deste ano mostra que foi acertada a decisão de resgatar, a partir de 2014, as bandeiras históricas da legenda.

Em entrevista coletiva no Senado, onde fez um balanço da votação do partido em todo país, Aécio afirmou que a legenda tomou um caminho corajoso de denunciar os erros cometidos pelo governo do PT, de defender o impeachment da ex-presidente Dilma e apresentar ao governo Temer uma agenda de reformas para o país.

“Resgatamos o nosso legado de forma absolutamente clara quando apontamos caminhos corajosos para o Brasil, ainda na campanha eleitoral de 2014. Continuamos a pregar o equilíbrio das contas públicas, a transparência do governo e a denunciar os desatinos cometidos pelos governos do PT. A nossa firmeza na condução na liderança do processo de impeachment, a nossa coragem de rapidamente apresentar ao governo Michel Temer uma agenda de reformas. Tudo isso foi compreendido pela sociedade brasileira como um caminho acertado e, em razão de grande parte dessa construção, o PSDB passa a partir de 1° de janeiro a administrar uma população em torno de 34 milhões de brasileiros, algo inédito para qualquer partido político na nossa história democrática”, ressaltou Aécio.

A partir de 1º de janeiro de 2017, prefeitos do PSDB estarão administrando 807 municípios, sendo sete capitais. Os reflexos, apontou Aécio, deverão ocorrer na eleição de maiores bancadas nos Estados e para a Câmara dos Deputados.

“Se voltarmos um pouco na nossa história, veremos que os partidos que alcançam um número maior de prefeituras nas eleições subsequentes acabam crescendo quase que automaticamente. Veremos crescer nossas bancadas, principalmente na Câmara dos Deputados”, frisou Aécio Neves.

As eleições em BH e em Minas Gerais

O senador por Minas Gerais destacou o resultado do PSDB no Estado, onde prefeitos do partido administrarão 133 cidades e uma população de 3,4 milhões ou cerca de 16% dos mineiros. Adversário histórico do PSDB, o PT em Minas amargou derrotas e caiu para 41 prefeituras.

“Vencemos em 133 municípios. Das dez maiores cidades do Estado, com candidatos próprios ou em coligação, estaremos governando sete das dez maiores cidades e o partido que governa o Estado hoje, o PT, viu o número de prefeituras eleitas em 2012, em torno de 160 e poucas cair para 41 prefeituras. Eles administrarão cerca de 1/5 da população que em Minas Gerais será administrada pelo PSDB, apenas com candidaturas próprias”, afirmou Aécio.

Ao avaliar o resultado da eleição em Belo Horizonte, Aécio cobrou do prefeito eleito Alexandre Kalil o cumprimento das promessas feitas aos eleitores.

“Eu espero que o prefeito eleito possa atender às expectativas que gerou na sua campanha. Faço apenas aqui mais um registro de que não acredito que a negação da política como instrumento de transformação da sociedade atenda ao interesse de quem quer que seja. O que se deve combater é a má política, a política feita com objetivos que não sejam de melhorar a vida das pessoas. Defenderei sempre a política, vencendo ou perdendo eleições”, destacou.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2f8oBA3