Notícias

Dono da refinaria de Manguinhos cumpre prisão temporária por lesar fundos de pensão Postalis e Petros

O empresário Ricardo Andrade Magro, dono da Refinaria de Manguinhos, se apresentou nesta segunda-feira (27) à Polícia Federal no Rio de Janeiro para cumprir prisão temporária. Ele estava foragido desde a última sexta-feira (22), dia em que a PF e o Ministério Público deflagraram a Operação Recomeço. Magro e outras seis pessoas são acusadas de lesar em R$ 90 milhões os fundos de pensão Postalis, da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ETC), e Petros, da Petrobras.

28 de junho de 2016

Brasília (DF) – O empresário Ricardo Andrade Magro, dono da Refinaria de Manguinhos, se apresentou nesta segunda-feira (27) à Polícia Federal no Rio de Janeiro para cumprir prisão temporária. Ele estava foragido desde a última sexta-feira (22), dia em que a PF e o Ministério Público deflagraram a Operação Recomeço. Magro e outras seis pessoas são acusadas de lesar em R$ 90 milhões os fundos de pensão Postalis, da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ETC), e Petros, da Petrobras.

Segundo informações de reportagem do jornal O Globo (28), o empresário era sócio do Grupo Galileo, responsável pela venda fraudulenta de debêntures da Universidade Gama Filho. O pretexto era o de recuperar a instituição para os dois fundos de pensão. Após a operação, a Universidade Gama Filho acabou descredenciada pelo governo.

De acordo com a PF, em dezembro de 2010, o Grupo Galileu emitiu debêntures de R$ 100 milhões para a Gama Filho. O dinheiro captado foi desviado ilegalmente para outros fins, como as contas bancárias de investigados, terceiros e de empresas relacionadas.

O empresário Ricardo Andrade Magro também é acusado de comandar um esquema de sonegação na distribuição de combustíveis. O dono da Refinaria de Manguinhos tem ainda ligações com o PMDB, PT e PCdoB.

Leia AQUI a íntegra da matéria do jornal O Globo.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/291ZQTL