Notícias

The Economist destaca economia diversificada do Paraná

A revista britânica The Economist destacou, em reportagem publicada nesta quinta-feira (24), a economia diversificada da região Sul e do Paraná. A publicação, a maior e mais respeitada do setor na Inglaterra, faz um relato da imigração e da geografia dos três estados e ressalta que a região tem muito a que ensinar para o restante do País, com desempenho econômico acima da média, mesmo em meio aos efeitos da recessão.

A revista britânica The Economist destacou, em reportagem publicada nesta quinta-feira (24), a economia diversificada da região Sul e do Paraná. A publicação, a maior e mais respeitada do setor na Inglaterra, faz um relato da imigração e da geografia dos três estados e ressalta que a região tem muito a que ensinar para o restante do País, com desempenho econômico acima da média, mesmo em meio aos efeitos da recessão.

A reportagem destaca que o Paraná é o segundo estado mais competitivo do País, segundo um ranking da revista e cita que a imigração teve papel importante em moldar gerações de pequenos produtores rurais que instalaram na região uma cultura de independência econômica. A The Economist cita o papel das cooperativas agropecuárias, como a Coamo, de Campo Mourão, a maior da América Latina, com 27 mil cooperados.

O artigo lembra ainda os investimentos da indústria automotiva, como o da francesa Renault, que investiu R$ 740 milhões em ampliações na sua fábrica do Paraná.

A revista também cita que o Sul possui uma economia diversificada e independente do ciclo de commodities.O artigo lembra ainda os investimentos da indústria automotiva, como o da francesa Renault, que investiu R$ 740 milhões em ampliações na sua fábrica do Paraná.

De acordo com a The Economist, a região não passou incólume à maior recessão da história do País, mas tem tido desempenhos melhores que a média brasileira. A publicação cita o índice de desemprego, de 8%, abaixo da média brasileira, que chegou a 11,8%. Um dos sinais de que o consumo na região se mantém resiliente é que a receita dos Estados tem se mantido em relação à inflação. A publicação também destaca a saúde financeira do Paraná em comparação aos problemas enfrentados pelo governo federal.

As empresas de tecnologia também vêm crescendo na região e a The Economist cita Pato Branco, cidade com 80 mil habitantes, que se tornou um polo tecnológico e possui start ups que criam drones para mapear fazendas.

*Do portal do governo do Paraná

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2go9KnT