Notícias

Economistas acreditam que ajuste fiscal pode ajudar no corte de juros no país

O sucesso do ajuste fiscal proposto pela equipe econômica do governo do presidente Michel Temer pode abrir a oportunidade, pela primeira vez na história recente do Brasil, da redução sustentável das taxas de juros do país. A avaliação é do economista-chefe do banco BTG Pactual, Eduardo Loyo, e do ex-presidente do Banco Central e estrategista-chefe da Rio Bravo Investimentos, Gustavo Franco. Os dois estiveram, nesta terça-feira (27), em evento que discutiu a agenda de mudanças para o país, promovido pelo Instituto Millenium, em São Paulo.

28 de setembro de 2016

O sucesso do ajuste fiscal proposto pela equipe econômica do governo do presidente Michel Temer pode abrir a oportunidade, pela primeira vez na história recente do Brasil, da redução sustentável das taxas de juros do país. A avaliação é do economista-chefe do banco BTG Pactual, Eduardo Loyo, e do ex-presidente do Banco Central e estrategista-chefe da Rio Bravo Investimentos, Gustavo Franco. Os dois estiveram, nesta terça-feira (27), em evento que discutiu a agenda de mudanças para o país, promovido pelo Instituto Millenium, em São Paulo.

De acordo com matéria do jornal Valor Econômico, Loyo defende que a oportunidade existe devido ao esforço para enfrentar o problema fiscal “crônico”, a tendência de crescimento “incessante” do gasto público e da carga tributária. “Não seria da noite para o dia, mas vejo essa promessa adicional como bônus no sucesso desse programa”, afirmou Loyo, ressaltando que a política fiscal de contenção de gastos pode permitir o afrouxamento da política monetária.

Franco acredita que, se o governo conseguir atingir a meta fiscal de 6%, poderia alcançar um efeito positivo semelhante ao do processo de estabilização da economia na década de 90, época em que presidia o Banco Central. O economista lembra que o sucesso do Plano Real, entre o primeiro governo Fernando Henrique Cardoso e o ano de 2007, levou à capitalização da bolsa saltar de US$ 80 bilhões para mais de US$ 1 trilhão. “Tem outra rodada disso ainda por acontecer”, defendeu.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2drVivf