Notícias

Em depoimento ao TSE, ex-senador Delcídio do Amaral confirmou que campanha de Dilma recebeu dinheiro desviado da construção de Belo Monte.

Delcídio confirma propina para campanha de Dilma em 2014

O ex-senador Delcídio do Amaral confirmou, em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta terça-feira (11), que a campanha à reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff em 2014 foi abastecida com dinheiro desviado da construção da usina hidrelétrica de Belo Monte. A declaração reforça a acusação do ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Marques de Azevedo, que já havia afirmado que houve pagamento de propina disfarçado de doação oficial à campanha da petista.

Delcídio confirma propina para campanha de Dilma em 2014
12 de outubro de 2016

Brasília (DF) – O ex-senador Delcídio do Amaral confirmou, em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta terça-feira (11), que a campanha à reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff em 2014 foi abastecida com dinheiro desviado da construção da usina hidrelétrica de Belo Monte. A declaração reforça a acusação do ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Marques de Azevedo, que já havia afirmado que houve pagamento de propina disfarçado de doação oficial à campanha da petista.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo desta quarta (12), o ex-senador disse ter certeza de que recursos oriundos de propina abasteceram a campanha da ex-presidente em 2014. Para Delcídio, seria “pouco provável” que a petista não soubesse do esquema.

Em delação premiada firmada com o Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Lava Jato, o ex-senador já havia afirmado que um esquema de desvio de dinheiro nas obras de Belo Monte abasteceu campanhas eleitorais do PT e do PMDB em 2010 e 2014.

O processo contra a chapa da petista que tramita no TSE tem como origem uma ação proposta pelo PSDB que apura se houve abuso de poder político e econômico na última eleição presidencial.

De acordo com a reportagem, caso os ministros do TSE entendam que houve desequilíbrio nas eleições, podem tornar Dilma inelegível – já que o Senado, no processo de impeachment, manteve a aptidão da petista para concorrer em eleições.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2evjSe0