Notícias

Empresas brasileiras migram para o Paraguai em busca de menores custos

Após dois anos seguidos de recessão econômica e com o desemprego no Brasil se aproximando de 12%, indústrias brasileiras estão abrindo novas fábricas e criando milhares de novos empregos no Paraguai. O país vizinho tem adotado a estratégia de atrair investimentos e empregos ao oferecer facilidades e abrir mão da cobrança de impostos. A ideia do governo paraguaio é aproveitar a proximidade com o Brasil para se tornar uma base de produção barata e livre de burocracia para o fornecimento do mercado brasileiro.

Após dois anos seguidos de recessão econômica e com o desemprego no Brasil se aproximando de 12%, indústrias brasileiras estão abrindo novas fábricas e criando milhares de novos empregos no Paraguai. O país vizinho tem adotado a estratégia de atrair investimentos e empregos ao oferecer facilidades e abrir mão da cobrança de impostos. A ideia do governo paraguaio é aproveitar a proximidade com o Brasil para se tornar uma base de produção barata e livre de burocracia para o fornecimento do mercado brasileiro.

A reportagem publicada nesta segunda-feira (2) pelo Estadão explica que a “lei da maquila”, adotada no país, garante o pagamento de apenas 1% de tributo às companhias que abrirem fábricas no Paraguai e exportarem 100% da produção. Outras vantagens como gastos menores com mão de obra e energia elétrica têm aumentado o ritmo de migração de investimentos do Brasil para o país vizinho. Nos últimos três anos, houve uma aceleração dessa dispersão de investimentos, o que coincide com a acentuação da crise na economia brasileira.

Para o deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE), a migração das indústrias é consequência de todos os erros cometidos numa relação ruim que o governo do PT manteve com os investidores e com aqueles que pretendem empreender no Brasil.

“Além da burocracia, temos um ambiente de negócio muito ruim, de muitas incertezas. O Brasil vem passando por um processo de desindustrialização que é reflexo dessa ofensiva do Paraguai de poder oferecer vantagens que o Brasil não está conseguindo oferecer. E é claro que isso causa um impacto”, disse.

No entanto, o tucano acredita que pelo fato de a economia do Paraguai ainda ser pequena, o desvio dos investimentos não causará um reflexo muito grande no Brasil. “Agora se todo o continente sul-americano e outros países resolverem fazer o uso da mesma estratégia, aí sim teremos que nos preocupar e estaremos diante de um quadro muito difícil”, afirmou.

O deputado ressaltou que, para reverter esse quadro, o governo brasileiro precisa melhorar o ambiente de competitividade perante os outros países. “É preciso que o governo federal tenha a ousadia de fazer as reformas que são necessárias, mas principalmente que se acelere a queda de juros. Só com a queda de juros é que a gente vai poder tornar as condições econômicas do Brasil um pouco melhor”, advertiu.

Betinho Gomes ressaltou que o momento é de concentração na melhora do cenário econômico e de força de vontade para driblar a crise. “É preciso olhar para frente preparar propostas consistentes e tentar melhorar o ambiente de negócios no Brasil’, concluiu.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2hMFKDO