Notícias

Ex-ministro da AGU orientou governo a pagar “pedaladas” em 2014

O governo da presidente afastada Dilma Rousseff foi aconselhado a pagar as “pedaladas fiscais” ainda em 2014. A informação foi dada pelo ex-ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), Luís Inácio Adams, que relatou em depoimento aos senadores na comissão do impeachment ter participado de reuniões com o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, o ex-presidente do Banco Central Alexandre Tombini e o ex-secretário do Tesouro Nacional Arno Augustin.

29 de junho de 2016

O governo da presidente afastada Dilma Rousseff foi aconselhado a pagar as “pedaladas fiscais” ainda em 2014. A informação foi dada pelo ex-ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), Luís Inácio Adams, que relatou em depoimento aos senadores na comissão do impeachment ter participado de reuniões com o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, o ex-presidente do Banco Central Alexandre Tombini e o ex-secretário do Tesouro Nacional Arno Augustin. Adams disse que, na ocasião, recomendou a quitação de eventuais passivos existentes. Os débitos foram quitados somente no fim do ano passado e o atraso resultou em um processo de impeachment da petista que analisa a reiteração das pedaladas em 2015, com atrasos de pagamentos do Tesouro ao Banco do Brasil por despesas do Plano Safra. Para o líder do PSDB no Senado e membro da comissão do impeachment, Cássio Cunha Lima (PB), as testemunhas reforçaram a responsabilidade de Dilma pelos crimes cometidos. O tucano acredita que há uma tendência de aprovação do impeachment da presidente.

“Eu não me reporto apenas ao depoimento do ex-ministro Adams, mas também das 40 testemunhas que foram arroladas pela defesa, porque foram tantos crimes praticados que eles precisaram indicar 40 testemunhas para tentar sustentar a tese da defesa. E ficou claro que a presidente cometeu os crimes de responsabilidade, seja por ação ou omissão. Portanto, o Senado vai aprovar o relatório que aponta para o afastamento definitivo tanto na comissão como no plenário”, afirmou o tucano.

A comissão encerrou nesta quarta-feira a tomada de depoimentos. Resta apenas a conclusão dos trabalhos relativos à perícia para o fim das diligências.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2953NW0