Notícias

Filha de Dilma utiliza ilegalmente veículos pagos com dinheiro público para realizar tarefas pessoais em Porto Alegre

A reportagem de capa da revista IstoÉ deste domingo (17) revela que a família de Paula Rousseff Araújo, procuradora do trabalho no Rio Grande do Sul e filha única da presidente afastada Dilma Rousseff, vem utilizando ilegalmente uma frota de veículos bancada pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência para realizar tarefas pessoais diárias em Porto Alegre.

17 de julho de 2016

A reportagem de capa da revista IstoÉ deste domingo (17) revela que a família de Paula Rousseff Araújo, procuradora do trabalho no Rio Grande do Sul e filha única da presidente afastada Dilma Rousseff, vem utilizando ilegalmente uma frota de veículos bancada pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência para realizar tarefas pessoais diárias em Porto Alegre.

A filha da petista usa o aparato oficial, composto de oito veículos e dezesseis pessoas (cada carro possui um motorista e um segurança), para atividades como ir ao cabelereiro, ao pet shop, ao pilates, a uma clínica de estética e para levar seus filhos à escola. O genro de Dilma, Rafael Covolo, também utiliza a estrutura bancada pelos contribuintes de maneira similar.

De acordo com o artigo 3º do decreto 6.403 de março de 2008, os veículos oficiais de representação podem ser usados apenas pelo presidente da República, pelo vice-presidente, pelos Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica e pelo Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e por ex-presidentes da República. Mesmo que fosse o caso da filha da presidente afastada, a frota é composta por carros sem a identificação “governo federal” exigida por lei e que utilizam de maneira irregular as chamadas “placas frias”, com prefixos inexistentes e usadas para evitar identificação.

Pagas com dinheiro público, as despesas de manutenção dessa regalia vêm custando caro aos cofres do país. Segundo a prestação de contas enviada pelo Palácio do Planalto pela Prime Consultoria e Assessoria Empresarial, empresa terceirizada responsável pelos veículos, somente no mês de junho foram gastos R$ 13,8 mil apenas com combustíveis.

Um dos responsáveis pela frota que atende ilegalmente aos familiares da presidente afastada foi ouvido pela reportagem da revista. Sem se identificar, por medo de retaliações, ele confirmou o festival de ilegalidades. De acordo com ele, a filha, o genro e os netos da petista vêm utilizando o aparato oficial irregularmente há pelo menos cinco anos. Ele também assegurou que oito carros são usados para o serviço e destacou a ilegalidade do ato.

“Sim. É ilegal. Mas eles usam mesmo assim. Eles até poderiam usar uma escolta. Não sou PMDB nem nada. Mas, por exemplo, a Marcela Temer (atual primeira-dama) usa a escolta para segurança. É normal. Mas sabemos que, quando morava sozinha em São Paulo, ela ia para compromissos pessoais com o carro dela. Não com carro oficial. Isso que a família de Dilma faz contraria a lei”, contou à reportagem da IstoÉ.

Procurado pela IstoÉ, o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência disse que “permanece realizando a segurança da Presidenta Dilma e de seus familiares, de acordo com o disposto no inciso VII do Art 6º da Lei Nr 10.683, de 28 de maio de 2003”. O problema de tal justificativa é que a legislação citada em nenhum momento autoriza o uso de veículos oficiais para uso pessoal de familiares de presidentes afastados, permitindo apenas uma eventual escolta para segurança.

Clique aqui para ler a reportagem completa da revista IstoÉ.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/29I0qVH