Notícias

Grandes projetos científicos estão abandonados no país, em mais um legado do governo Dilma

Depois de dois anos de cortes sucessivos causados pelo governo do PT, grandes projetos científicos estão abandonados no Brasil. Entre eles, um supercomputador que custou milhões de reais e está desativado, remédios mais eficientes contra o câncer que não podem ser testados e bases de pesquisa em áreas remotas da Amazônia que encontram-se fechadas. O deputado federal Nilson Leitão (PSDB-MT) acredita que o abandono desses projetos é mais um marco da má gestão petista.

11 de julho de 2016

Depois de dois anos de cortes sucessivos causados pelo governo do PT, grandes projetos científicos estão abandonados no Brasil. Entre eles, um supercomputador que custou milhões de reais e está desativado, remédios mais eficientes contra o câncer que não podem ser testados e bases de pesquisa em áreas remotas da Amazônia que encontram-se fechadas. O deputado federal Nilson Leitão (PSDB-MT) acredita que o abandono desses projetos é mais um marco da má gestão petista.

“Fizeram muita propaganda disso, principalmente nos períodos eleitorais, de que a pesquisa na ciência e tecnologia seria algo colocado como prioritário. Tanto no Orçamento, quanto também como uma prática. O fato é que isso é mais um item na lista das mentiras, da incompetência do PT na gestão. O prejuízo disso é imensurável”, afirmou  o parlamentar.

A área de Ciência, Tecnologia e Inovação, que em 2013 recebeu R$ 9,4 bilhões, neste ano tem apenas R$ 3,5 bilhões para se manter. Os cortes orçamentários impedem uso de equipamentos de ponta comprados pelo governo e atrapalham inovações em saúde e conservação ambiental. Para o deputado Nilson Leitão, esses transtornos impedem o desenvolvimento do Brasil.

“O Brasil está atrasado em um setor importantíssimo dependendo de multinacionais e de pesquisas internacionais para tentar avançar. Isso se torna muito mais caro, mas houve uma mobilização para isso, houve orçamento para isso. O que não houve de fato foi a gestão para que isso ocorresse. Então, é uma soma de inoperância, incompetência. Mas acima de tudo, da falsa promessa utilizada durante todo esse tempo”, acrescentou Leitão.

Entre as reclamações mais frequentes da comunidade científica está a falta de dinheiro para cobrir custos básicos de manutenção, como salário de funcionários e bolsistas, contas de energia e insumos para pesquisas.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/29NDqpH