Notícias

Parte do dinheiro, que vem da participação de lucros na G4 Entretenimento, é questionada pela PF. Lulinha, é o filho mais velho de Lula.

Lulinha em 10 anos teve rendimentos de R$ 5,2 mi, revela laudo da PF

Um laudo anexado ao inquérito da Polícia Federal que investiga as irregularidades envolvendo o sítio de Atibaia, utilizado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua família, revela que Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho mais velho do petista, teve rendimentos de R$ 5,2 milhões entre 2004 e 2014. Como informa matéria publicada pelo jornal O Estado de São Paulo nesta terça-feira (25), do total recebido por Lulinha no período, 73%, ou R$ 3,8 milhões, são originários da distribuição de lucros da empresa G4 Entretenimento Tecnologia Ltda.

Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho mais velho de Lula

Um laudo anexado ao inquérito da Polícia Federal que investiga as irregularidades envolvendo o sítio de Atibaia, utilizado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua família, revela que Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho mais velho do petista, teve rendimentos de R$ 5,2 milhões entre 2004 e 2014. Como informa matéria publicada pelo jornal O Estado de São Paulo nesta terça-feira (25), do total recebido por Lulinha no período, 73%, ou R$ 3,8 milhões, são originários da distribuição de lucros da empresa G4 Entretenimento Tecnologia Ltda.

Segundo a reportagem, os donos da empresa são Lulinha (50% da sociedade) e os irmãos Fernando Bittar e Kalil Bittar (25% cada um) Ao lado de Jonas Suassuna, Fernando é um dos donos, no papel, do sítio Santa Bárbara, em Atibaia. O relatório da PF destaca que a divisão de lucros é incompatível com a composição societária da empresa, o que chamou a atenção dos investigadores.

“Chama atenção fato da distribuição de lucros da G4 não observar, em alguns anos, composição societária da empresa. Nesse sentido, não obstante possuísse 50% das quotas da G4, no ano de 2012, sr Fábio recebeu 100% da distribuição de lucros, no valor de R$ 750 mil”, destaca o laudo, subscrito pelo perito criminal federal Marcio Schiavo.

“Observou-se ainda, que as maiores distribuições de lucros da empresa G4 ocorreram exatamente nesses anos (2012 e 2014). Em que pese a impossibilidade de uma análise mais aprofundada, notadamente por não estarem disponíveis os contratos sociais da empresa G4 Entretenimento, convém destacar disposição do Código Civil Brasileiro, prevendo que salvo disposição em contrário, distribuição dos lucros deverá obedecer proporção das quotas, assim como estipula nula exclusão de qualquer sócio na participação dos lucros”, destaca também o laudo da Polícia Federal.

Na visão do deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE), as suspeitas envolvendo os rendimentos de Lulinha, com impacto direto nas investigações envolvendo o sítio de Atibaia, comprovam o embasamento das acusações apresentadas pelo PSDB em relação às propriedades de Lula.

“Há anos que o PSDB vem denunciando, demonstrando, apresentando dados de enriquecimento ilícito da família do ex-presidente Lula. A gente observava fotos das propriedades do ex-presidente Lula, do filho dele, aviões, fazendas, tudo isso para uma pessoa que não tinha estrutura nenhuma para ter esse patrimônio. No momento em que cada vez mais se aprofundam as investigações, se constata realmente que o que o PSDB vinha apresentando tinha veracidade”, avaliou o parlamentar.

A reportagem do Estadão ainda destaca que a análise, feita pela PF, das movimentações financeiras dos filhos e dos sócios de Lula é uma forma de encontrar negociações que possam ter ocultado pagamento de propinas ao ex-presidente. A Polícia Federal vê indícios de negociações ilegais e ocultas nas movimentações envolvendo os filhos do ex-presidente e seus sócios.

Clique aqui para ler a matéria do Estadão.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2dVKJP6