Notícias

Márcia Maia defende liberação de emendas para UTIs infantis no Rio Grande do Norte

A luta pela liberação de mais de R$ 2 milhões em emendas parlamentares para instalação de novos leitos de UTIs infantis no Rio Grande do Norte continua. A deputada estadual Márcia Maia (PSDB-RN) e presidente da Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente defendeu nesta quinta-feira (20), no plenário da Assembleia Legislativa, a aplicação dos recursos.

20 de outubro de 2016

A luta pela liberação de mais de R$ 2 milhões em emendas parlamentares para instalação de novos leitos de UTIs infantis no Rio Grande do Norte continua. A deputada estadual Márcia Maia (PSDB-RN) e presidente da Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente defendeu nesta quinta-feira (20), no plenário da Assembleia Legislativa, a aplicação dos recursos.

Foi enviado ainda no mês de julho um pedido de remanejamento e liberação de emendas da parlamentar e de outros deputados, incluídas no Orçamento Geral deste ano, para tentar reduzir o déficit de cerca de 300 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) pediátrica e neonatal no Estado. Ao todo, a deputada tucana destinou R$ 550 mil para investimento em novos leitos.

“Nós fizemos a nossa parte. Realizamos reuniões com entidades ligadas ao atendimento médico infantil, fizemos audiência pública e, sensibilizados com a situação, destinamos mais de R$ 2 milhões para a ampliação de UTIs infantis das nossas emendas individuais. Mas até agora não tivemos nenhuma resposta do Governo, a situação continua do mesmo jeito ou pior”, afirmou Márcia.

Para tentar a liberação o mais breve possível, a parlamentar sugeriu ainda a criação de uma comissão formada pelos deputados responsáveis pela destinação das emendas remanejadas para a saúde com o objetivo de cobrar a aplicação e o investimento para a instalação de novas UTIs infantis no RN. “Vamos buscar uma audiência com o titular da Saúde do Estado para tentar a liberação das emendas para que esse investimento, enfim, possa ser feito. Um leito de UTI pode salvar até 40 vidas por ano e, só essa informação, é mais do que suficiente para justificar esse investimento. A vida precisa ser prioridade da gestão pública”, concluiu.

*Da Assessoria de Imprensa da deputada estadual

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2eqo0Jb