Notícias

Mato Grosso propõe combate ao desmatamento em conjunto com estados da Amazônia

O governo de Mato Grosso propôs um projeto, em conjunto com o estado do Pará, para reduzir o desmatamento ilegal na Amazônia. O projeto contará com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio do Fundo Amazônia, e poderá beneficiar 36 municípios dos dois estados. Nesta quinta-feira (29), o governador de Mato Grosso, Pedro Taques, e o secretário adjunto de Meio Ambiente, André Baby, participaram de uma teleconferência com o governador do Pará, Simão Jatene, e com a presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, para debater sobre a proposta, que ainda poderá incluir o estado de Rondônia.

29 de setembro de 2016

O governo de Mato Grosso propôs um projeto, em conjunto com o estado do Pará, para reduzir o desmatamento ilegal na Amazônia. O projeto contará com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio do Fundo Amazônia, e poderá beneficiar 36 municípios dos dois estados.

Nesta quinta-feira (29), o governador de Mato Grosso, Pedro Taques, e o secretário adjunto de Meio Ambiente, André Baby, participaram de uma teleconferência com o governador do Pará, Simão Jatene, e com a presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, para debater sobre a proposta, que ainda poderá incluir o estado de Rondônia.

Durante a reunião, Taques expôs a experiência com o programa Produzir Conservar e Incluir (PCI), que foi apresentado durante a COP 21, em Paris, como uma das principais ações para a redução do desmatamento de Mato Grosso a zero até 2020.

O governador afirmou que já havia conversado com o governador do Pará, que também conta com um ambicioso programa de sustentabilidade, o Pará 2030, sobre a possibilidade de união entre os estados e os programas de combate ao desmatamento. “Temos que acabar com esta ideia de que o meio ambiente é divido em estados, falamos de uma mesma bacia hidrográfica, com muitas semelhanças e os mesmos problemas. Se trabalharmos juntos, conseguiremos ter resultados melhores”.

O secretário adjunto da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), André Baby, ressaltou que os estados sempre combateram o desmatamento de forma bastante isolada, apesar de serem vizinhos e que, por isso, encontram tanta dificuldade de obter resultados. “Trabalhando em conjunto, trabalhando bem as fronteiras, essa transposição e as ações em conjunto, a gente ganha em capilaridade, pluralidade, valoriza o dinheiro investido e valoriza as campanhas e as políticas públicas para alcançar os objetivos”.

Assim como no PCI, o projeto também será debatido e contará com o apoio da sociedade civil organizada e da iniciativa privada. O secretário ainda lembrou a importância da localização estratégica de Mato Grosso, que se encontra no meio da América Latina e conta com diversas bacias hidrográficas. “É fundamental que trabalhemos em conjunto e somemos forças para fazer a política pública chegar ao cidadão e se consolidar em termo de Amazônia”.

Uma proposta semelhante também será apresentada para o Governo de Mato Grosso do Sul, para a preservação do Pantanal, na próxima semana. Taques ainda deverá entrar em contato com o governador de Rondônia, Confúcio Moura, para apresentar a ideia. Em seguida, os secretários de Meio Ambiente dos estados se encontrarão para formatar um projeto e apresentar ao Comitê Orientador do Fundo Amazônia (COFA), que deverá se reunir no final de outubro.

A presidente do BNDS, Maria Silvia Bastos Marques, elogiou a iniciativa mato-grossense e afirmou que a proposta inovadora, primeira do tipo no País, poderá servir de piloto para outros projetos e programas entre estados.

*Do portal do governo de Mato Grosso

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2cG3ZkI