Notícias

Miguel Haddad critica justificativas do PT para fracasso nas urnas

Em sua primeira reunião após o primeiro turno das eleições municipais, a Executiva Nacional do PT culpou o ajuste fiscal do governo da ex-presidente Dilma Rousseff, a mídia e até mesmo a Operação Lava Jato pelos maus resultados obtidos pelos candidatos do partido. Apenas 256 petistas que se candidataram às prefeituras conseguiram se eleger neste ano, o que representa uma queda de quase 60% em relação ao pleito de 2012.

6 de outubro de 2016

Em sua primeira reunião após o primeiro turno das eleições municipais, a Executiva Nacional do PT culpou o ajuste fiscal do governo da ex-presidente Dilma Rousseff, a mídia e até mesmo a Operação Lava Jato pelos maus resultados obtidos pelos candidatos do partido. Apenas 256 petistas que se candidataram às prefeituras conseguiram se eleger neste ano, o que representa uma queda de quase 60% em relação ao pleito de 2012.

De acordo com informações de matéria publicada pelo jornal O Estado de São Paulo nesta quinta-feira (6), uma resolução política aprovada pela cúpula do partido justificou a derrocada nas urnas afirmando que o “aprofundamento da crise econômica, a criminalização do PT e a ação corrosiva da mídia monopolizada erodiram a base eleitoral progressista”. Além disso, o documento ainda cita que uma suposta “escalada antipetista” da Lava Jato teria gerado “ofensivas fraudulentas, mas de ampla repercussão” contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ex-ministros petistas às vésperas das eleições.

Na visão do deputado federal Miguel Haddad (PSDB-SP), as justificativas dadas pelo PT para o fracasso nas urnas não encontram nenhum reflexo com o que, de fato, acontece no país. Para ele, o Partido dos Trabalhadores é o único responsável pelo mau resultado de seus candidatos no primeiro turno das eleições.

“A culpa é exclusivamente do PT. O único responsável por esse resultado e pelo descrédito hoje da política como um todo, pela grande maioria dos brasileiros, é o PT”, destacou o tucano. Para Haddad, não existe nenhum sentido em culpar a Lava Jato ou a economia pelo fracasso petista, uma vez que o PT foi o maior responsável por ambas as situações.

“O Brasil se encontra nesse grave quadro econômico em função de uma gestão irresponsável sob o aspecto fiscal e orçamentário e irresponsável porque colocou o interesse do partido acima dos interesses do país. Foi uma gestão irresponsável, inconsequente e que nos trouxe a esse quadro gravíssimo em que hoje se encontra o Brasil”, argumentou o parlamentar. A Operação Lava Jato é consequência do uma organização criminosa que foi implantada pelo PT dentro do governo”, acrescentou.

“Reformulação”

Segundo matéria do jornal O Globo, durante a reunião da cúpula petista, o deputado federal Reginaldo Lopes (MG), secretário nacional de assuntos institucionais do PT, chegou a afirmar que seu partido poderia analisar a possibilidade de alterações na marca do partido, sugerindo mudanças na estrela vermelha, no número 13 e até mesmo no nome da legenda como forma de tentar superar a rejeição popular. Para Miguel Haddad, tais medidas não surtiriam efeitos práticos, já que a essência petista seguiria intacta mesmo com tamanhas mudanças.

“Você muda a roupa, mas a essência é a mesma, porque o DNA é um só. Isso é uma tentativa de induzir o eleitor a erro. Você muda a roupagem, muda a cor, muda a estrela, muda o número, e acha que você tem um novo partido. Não. O partido é o mesmo, a essência é a mesma, o DNA é o mesmo, a ideologia é a mesma e as pessoas que o integram são as mesmas”, ponderou o tucano.

Clique aqui e aqui para ler as matérias do jornal O Globo e do Estadão.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2dxSj4V