Notícias

Moro nega pedido da defesa de Lula para considerar procuradores da Lava Jato suspeitos

O juiz federal Sergio Moro negou, nesta terça-feira (6), pedido apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que os procurados da Operação Lava Jato fossem considerados suspeitos para investigar o petista. A ação dos advogados de Lula foi apresentada após uma entrevista coletiva concedida pela força-tarefa da Lava Jato, no dia 14 de setembro, na qual o ex-presidente foi classificado como o “comandante máximo” do esquema de corrupção da Petrobras.

O juiz federal Sergio Moro negou, nesta terça-feira (6), pedido apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que os procurados da Operação Lava Jato fossem considerados suspeitos para investigar o petista. A ação dos advogados de Lula foi apresentada após uma entrevista coletiva concedida pela força-tarefa da Lava Jato, no dia 14 de setembro, na qual o ex-presidente foi classificado como o “comandante máximo” do esquema de corrupção da Petrobras. As informações são de matéria publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Em sua decisão, Moro afirmou que o pedido da defesa de Lula não traz “qualquer fato objetivo que se enquadre nas hipóteses de impedimento” e destacou que o uso de adjetivos para definir Lula é parte da argumentação do Ministério Público Federal e que “não se vislumbra, com facilidade, neles um tom desrespeitoso”.

“Certamente, a imputação de crime a outrem nunca é totalmente respeitosa, já que contém afirmações incriminadoras contra o acusado, mas isso não é causa de suspeição ou impedimento”, ressalta o juiz federal.

Ainda segundo a reportagem do estadão, Moro também considerou a argumentação apresentada pelos advogados de Lula como “simplória”. “A argumentação apresentada pela defesa é simplória e poderia ser assim resumida, como o acusado Luiz Inácio Lula da Silva é inocente, todos os que agem contra ele, no caso os Procuradores da República que apresentaram a denúncia, são seus inimigos e só podem estar agindo com intuito político partidário ou político-ideológico”, diz Moro, em sua decisão.

Clique aqui para ler a matéria do Estadão.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2hnE6nq