Notícias

Processo contra o ex-presidente Lula é relativo à compra e reforma do tríplex de Guarujá, petista teria recebido o dinheiro por meio de propinas pagas pela OAS.

Moro ouve testemunhas em que Lula é suspeito de ter recebido R$ 3,7 mi

O juiz federal Sergio Moro começou a ouvir, na tarde desta segunda-feira (21), as primeiras testemunhas de acusação do processo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva relativo à compra e reforma do tríplex de Guarujá (SP). A denúncia, aceita por Moro em setembro, afirma que o petista teria recebido R$ 3,7 milhões em propinas da construtora OAS.

Processo contra o ex-presidente Lula é relativo à compra e reforma do tríplex de Guarujá, petista teria recebido o dinheiro por meio de propinas pagas pela OAS.

O juiz federal Sergio Moro começou a ouvir, na tarde desta segunda-feira (21), as primeiras testemunhas de acusação do processo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva relativo à compra e reforma do tríplex de Guarujá (SP). A denúncia, aceita por Moro em setembro, afirma que o petista teria recebido R$ 3,7 milhões em propinas da construtora OAS. As informações são de matéria publicada pelo G1.

Segundo a reportagem, as testemunhas ouvidas pelo juiz federal nesta segunda são o empresário Augusto Mendonça, Dalton Avancini e Eduardo Leite, ex-dirigentes da Camargo Correa, e o senador cassado Delcídio do Amaral. Os depoimentos seguem até sexta-feira (25). Até lá, ainda serão ouvidos, entre outras pessoas, os ex-diretores da Petrobras Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró, o ex-deputado Pedro Correa, o doleiro Alberto Youssef, os lobistas Fernando Baiano e Milton Pascowitch e o pecuarista José Carlos Bumlai.

Na visão do deputado federal Izalci Lucas (PSDB-DF), os depoimentos concedidos ao juiz Moro serão decisivos para o futuro de Lula e uma possível condenação na Lava Jato. O tucano acredita que, no caso de as expectativas se confirmarem e as testemunhas implicarem o ex-presidente nos crimes apontados, a saída encontrada pela defesa será a mesma adotada até o momento: desqualificar os depoimentos e o próprio processo.

“Ele vai tentar desqualificar sempre, como está fazendo já. Entrar com ação contra o Moro, esse tipo de coisa. Uma estratégia de desqualificar as testemunhas e o próprio juiz, que é saída que ele tem. Mas acho que não vai adiantar. Daqui a pouco cai a ficha e a coisa [condenação de Lula] acontece”, destacou o deputado,

Izalci afirmou ainda que ações como o pedido de condenação de Moro por suposto abuso de autoridade na Lava Jato, apresentado pela defesa de Lula na sexta-feira (18) passada, diminuem ainda mais a já desgastada credibilidade do ex-presidente. “A cada dia que passa, ele vem perdendo credibilidade. O pouco apoio que ele tinha, está perdendo cada vez mais, exatamente em função dessas artimanhas. Isso foi desgastando [o Lula]”, comentou o parlamentar.

Processo contra Lula

Ao anunciar as datas dos depoimentos das testemunhas, no fim do mês passado, Sergio Moro rebateu as críticas feitas pela defesa de Lula e negou qualquer tipo de suspensão do processo que investiga o petista.

“Quanto às alegações de que as acusações seriam frívolas, fictícias, político-partidária, fundamentalistas ou que haveria “lawfare” contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre outras, trata-se igualmente de questões de mérito revestidas de excesso retórico. Não cabe, reitere-se, análise de mérito nessa fase”, salientou o juiz, em seu despacho.

Clique aqui para ler a matéria do G1.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2fAQEra