Notícias

Apelação de Lula não deve surtir efeito no Comitê de Direitos Humanos da ONU, que irá se manifestar somente por meio de nota.

ONU desmente defesa de Lula e diz que não acatou recurso

Ao contrário do que foi interpretado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ONU não acatou, ao menos não até o momento, um recurso apresentado pelo petista que cita um suposto desrespeito aos direitos humanos ocorrido no Brasil. Por meio de comunicado, a ONU explicou que apenas aceitou analisar o caso e que a decisão divulgada na quarta-feira (26) é apenas uma formalidade, um “registro” do Comitê de Direitos Humanos. A nota ainda esclarece que o caso não está entre as prioridades e que o julgamento completo do episódio pode levar até cinco anos.

ONU desmente defesa de Lula e diz que não acatou recurso

Ao contrário do que foi interpretado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ONU não acatou, ao menos não até o momento, um recurso apresentado pelo petista que cita um suposto desrespeito aos direitos humanos ocorrido no Brasil. Por meio de comunicado, a ONU explicou que apenas aceitou analisar o caso e que a decisão divulgada na quarta-feira (26) é apenas uma formalidade, um “registro” do Comitê de Direitos Humanos. A nota ainda esclarece que o caso não está entre as prioridades e que o julgamento completo do episódio pode levar até cinco anos.

Segundo o Estadão, os advogados de Lula divulgaram, ontem, um comunicado à imprensa comemorando o registro do pedido como se a entidade tivesse acatado as denúncias de um suposto abuso de poder do Juiz Sérgio Moro e dos procuradores da Lava Jato. No recurso enviado à ONU, Lula também acusa o Judiciário de parcialidade e se diz vítima de perseguição.

O deputado federal Pedro Vilela (PSDB-AL) acredita que o recurso enviado à ONU por Lula é uma tentativa “desesperada” de conseguir apoio internacional. “O principal proposito dessa ação é mais ideológico do que jurídico. A intensão de Lula é criar um factóide para ilustrar o discurso dele aqui no Brasil”, disse

Vilela afirmou que o PT tem usado seus contatos e suas relações internacionais para divulgar uma tese de que o partido está sendo perseguido, o que não corresponde à realidade. “Essa é uma retórica construída por eles para tentar vender esse vitimismo para o exterior. No Brasil, essa versão não cola mais”, explicou.

O tucano disse que acha difícil que o petista consiga emplacar a versão de que está tendo suas garantias violadas pela Justiça brasileira e espera que a ONU perceba a verdade sobre o combate à corrupção que está em curso no país. “Lula passa por um momento difícil da sua vida pública e tem tentado se defender com muita dificuldade. A própria ONU interferiu pedindo cautela porque ainda não se decidiu nada, apenas houve um aceite em analisar o caso. A organização vai concluir que a ação de Lula é equivocada”, concluiu.

A organização ressaltou que a admissibilidade da queixa só será avaliada após a manifestação do Estado brasileiro, o que ainda não ocorreu. Segundo o jornal, a ONU poderia ter dado tratamento especial ao caso, mas preferiu optar pelo caminho tradicional e nivelou  as acusações do petista aos outros 550 casos que estão pendentes de análise. A previsão é que os peritos comecem a avaliar o caso apenas no segundo semestre de 2017.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2eW4cgc