Notícias

Operação Acrônimo: Pimentel exonera aliados para que votem a seu favor na Assembleia Legislativa

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), pretende colocar em prática mais uma manobra para blindá-lo das investigações da Operação Acrônimo. O petista vai exonerar quatro deputados estaduais, que hoje ocupam secretarias do governo estadual, para que retomem seus cargos na Assembleia Legislativa e votem contra o pedido de abertura, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), de ação penal que investiga Pimentel por corrupção.

Brasília (DF) – O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), pretende colocar em prática mais uma manobra para blindá-lo das investigações da Operação Acrônimo. O petista vai exonerar quatro deputados estaduais, que hoje ocupam secretarias do governo estadual, para que retomem seus cargos na Assembleia Legislativa e votem contra o pedido de abertura, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), de ação penal que investiga Pimentel por corrupção. As informações são de reportagem desta sexta-feira (18) do jornal O Estado de S. Paulo.

Deverão voltar para a Assembleia os secretários Sávio Souza Cruz, da Saúde, Pastor Carlos Henrique, dos Esportes, Ricardo Faria, do Turismo, e Fábio Cherem, do Desenvolvimento Econômico. A previsão é que a votação ocorra na semana que vem. Pimentel precisa de 26 votos no plenário para barrar a abertura da ação.

O STJ ainda deverá decidir se autoriza os deputados mineiros a terem acesso a partes da denúncia contra o governador que estão sob segredo de Justiça. O pedido será analisado pelo relator do processo da Operação Acrônimo na Corte, ministro Herman Benjamin. Os documentos foram enviados ao Poder Legislativo há cerca de 15 dias. A oposição, no entanto, acusa o comando da Mesa Diretora da Assembleia, aliada a Fernando Pimentel, de esconder parte dos volumes.

Leia AQUI a íntegra da reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2fbS79L