Notícias

Para MEC, reforma no Ensino Médio vai reduzir desigualdades

O Ministério da Educação defendeu nesta terça-feira (4) urgência na reforma do Ensino Médio para reduzir as desigualdades do sistema educacional do país. “Muitos alegam que a proposta pode aumentar a desigualdade. Pelo contrário, ela vai promover maior equidade no sistema”, disse Maria Helena Castro, secretária-executiva do MEC ao comentar os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015 por escola, que aponta desempenho amplamente superior das escolas particulares.

5 de outubro de 2016

O Ministério da Educação defendeu nesta terça-feira (4) urgência na reforma do Ensino Médio para reduzir as desigualdades do sistema educacional do país. “Muitos alegam que a proposta pode aumentar a desigualdade. Pelo contrário, ela vai promover maior equidade no sistema”, disse Maria Helena Castro, secretária-executiva do MEC ao comentar os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015 por escola, que aponta desempenho amplamente superior das escolas particulares.

A reforma também foi defendida pela presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anisio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini. Para ela, o resultado do Enem 2015 representa a “imperiosa necessidade da reforma do ensino médio”.

De acordo com matéria do jornal Valor Econômico desta quarta-feira (5), na lista de 100 escolas com maiores médias no Enem 2015, apenas três unidades são públicas e federais. No ranking de melhor desempenho, aparece em primeiro lugar São Paulo, com 30 escolas, seguido de Ceará – com oito escolas. Já a média de toda rede particular de São Paulo é a 5ª melhor do país.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2duUMx8