Notícias

Para tucano, baixo número de candidatos petistas nas capitais é fruto do “estelionato” praticado pelo partido

A crise institucional vivida pelo PT deve ter um impacto direto no número de candidatos que a sigla deve apresentar para as eleições municipais deste ano. De acordo com informações da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, o partido tem, até o momento, apenas sete candidatos já confirmados para as prefeituras das capitais do país. Os petistas devem disputar em São Paulo, Recife, Fortaleza, Curitiba, Manaus, Porto Alegre e Rio Branco.

23 de junho de 2016

A crise institucional vivida pelo PT deve ter um impacto direto no número de candidatos que a sigla deve apresentar para as eleições municipais deste ano. De acordo com informações da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, o partido tem, até o momento, apenas sete candidatos já confirmados para as prefeituras das capitais do país. Os petistas devem disputar em São Paulo, Recife, Fortaleza, Curitiba, Manaus, Porto Alegre e Rio Branco.

Para o deputado federal Geraldo Resende (PSDB-MS), que é pré-candidato à prefeitura de Dourados nas eleições municipais, o baixo número de candidatos petistas é reflexo da rejeição da população à legenda após tantos casos de corrupção e má gestão dos recursos públicos.

“É fruto desse verdadeiro estelionato que eles praticaram contra o povo brasileiro e, acima de tudo, da ineficiência com que eles tocaram tanto os municípios como os estados e o próprio governo federal. Então há repulsa, há uma verdadeira ojeriza que vai se traduzir nas urnas”, salientou o tucano.

O baixo número de candidatos já confirmados pelo PT fica ainda mais evidente na comparação com as eleições municipais de 2012, ano em que o partido teve 17 filiados concorrendo às prefeituras das capitais. Além disso, o número é muito inferior às projeções do início deste ano, quando o PT planejava, também de acordo com a Folha de S. Paulo, lançar pelo menos 20 candidatos para as capitais do país.

Geraldo Resende acredita que o pleito deste ano vai servir para o eleitor mostrar toda a sua insatisfação com os erros cometidos por gestores petistas. Para ele, o PT pode perder boa parte de sua relevância após as votações municipais.

“Acho que eles [petistas] vão ter uma resposta muito negativa do eleitor, logicamente o eleitor tentando mostrar seu inconformismo com o descalabro administrativo que aconteceu”, disse o parlamentar.

“Eu acho que o PT vai sair muito menor do que eles avaliam nessa eleição. Acho que o PT vai ser reduzido e vai ficar um partido de pequeno porte. Ele perdeu toda credibilidade, e o povo vai mostrar isso. Aqueles petistas que seguem pesquisas de opinião pública devem estar avaliando se vale a pena ou não concorrer pela sigla”, acrescentou o deputado.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/28V5XsB