Notícias

Para tucano, programa de refinanciamento do BNDES vai ajudar retomada do crescimento econômico do país

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai abrir um programa de refinanciamento para socorrer micro, pequenas e médias empresas que estão inadimplentes ou com prazo para quitação da dívida próximo a vencer. O pacote, que deverá ser lançado nesta quinta-feira (15), tem como objetivo ajudar o país a se recuperar da crise forte crise econômica deixada como herança pelos governos petistas.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai abrir um programa de refinanciamento para socorrer micro, pequenas e médias empresas que estão inadimplentes ou com prazo para quitação da dívida próximo a vencer. O pacote, que deverá ser lançado nesta quinta-feira (15), tem como objetivo ajudar o país a se recuperar da crise forte crise econômica deixada como herança pelos governos petistas.

De acordo com matéria do jornal O Globo, a expectativa é refinanciar, a partir de fevereiro do próximo ano, até R$ 10 bilhões em dívidas contraídas com o banco durante o governo dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Hoje, o saldo devedor soma cerca de R$ 100 bilhões (incluindo dívidas a vencer).

Para o deputado federal Nilson Leitão (PSDB-MT), a medida chega em boa hora para que a economia brasileira volte a crescer e gerar empregos. “O governo tinha que tomar alguma atitude [para superar a crise econômica]. Deixar a inadimplência e perder o dinheiro emprestado não são os melhores caminhos. É preciso um bom plano de recuperação dessas dívidas dando uma nova oportunidade ao setor para que possa de fato se recuperar e gerar emprego. Endividado e inadimplente significa fechar as portas, portanto essa iniciativa do governo Temer e do BNDES tem que ser aplaudida e temos que dar todo o apoio possível”, avaliou o parlamentar.

O tucano também aproveitou para criticar a gestão do banco durante os 13 anos dos governos petistas. “A forma que o BNDES trabalhou todo esse período chegou a beira da irresponsabilidade, foi distribuindo muito dinheiro e, muitas vezes, sem muitos critérios. É por isso que acabou acontecendo isso [saldo devedor de R$ 100 bi] e agora chegou o momento de corrigir”, pontuou Leitão

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2hR12Mh