Notícias

PT pediu R$ 30 milhões para pagar dívida de campanha de Fernando Haddad, afirma delator

O ex-diretor da Andrade Gutierrez Flávio Gomes Machado Filho afirmou, em delação premiada, que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pediu à empreiteira o pagamento de uma dívida de R$ 30 milhões da campanha do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). Segundo Machado Filho, o valor teria sido cobrado também de mais cinco construtoras. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo desta quarta-feira (29).

29 de junho de 2016

Brasília (DF) – O ex-diretor da Andrade Gutierrez Flávio Gomes Machado Filho afirmou, em delação premiada, que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pediu à empreiteira o pagamento de uma dívida de R$ 30 milhões da campanha do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). Segundo Machado Filho, o valor teria sido cobrado também de mais cinco construtoras. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo desta quarta-feira (29).

De acordo com o ex-diretor, a solicitação do dinheiro também foi feita a outras cinco empresas, de modo que ficariam R$ 5 milhões para pagamento pela Andrade Gutierrez.

Para o deputado federal Bruno Covas (PSDB-SP), a revelação demonstra “claramente” o envolvimento do PT e do prefeito Fernando Haddad em atos ilegais. O tucano lembrou que, no ano passado, o dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, já havia confessado que chegou a pagar uma despesa de R$ 2,4 milhões da campanha do petista.

“O prefeito teve recentemente seu secretário preso. Não dá para dizer que ele não sabia e que não estava envolvido em tudo aquilo que o seu partido tem feito na esfera federal. Seria absurdo uma pessoa que foi ministro do governo não conhecer de perto tudo aquilo que o PT aprontou durante esses anos”, afirmou.

Eleito em 2012, Haddad arrecadou R$ 42 milhões em sua campanha e gastou R$ 67 milhões – um rombo de pelo menos R$ 25 milhões, assumido pelo Diretório Nacional do PT no ano seguinte. Parte desse valor era do contrato fechado com a Polis Propaganda e Marketing, do marqueteiro do partido, João Santana.

Covas afirmou ainda que, à medida que surgirem novas delações, o PT e seus dirigentes devem continuar a ser envolvidos em esquemas ilegais. “Todo esse pessoal está conectado na corrupção. Certamente, esse dinheiro deve estar vinculado a contratos para o governo federal porque é dessa forma que o PT age, isso já ficou comprovado pelo mensalão e pelo petrolão”, completou.

Segundo a reportagem, Santana foi contratado pela campanha de Haddad por R$ 30 milhões. Em 2014, ele foi o responsável pelo marketing da campanha de reeleição da presidente afastada, Dilma Rousseff. Em sua delação, o ex-executivo da Andrade Gutierrez afirmou que os R$ 5 milhões que a empreiteira teria de pagar eram para Santana.“Não sabe se a dívida de R$ 30 milhões era com João Santana ou o total da campanha de Haddad, mas a parte da Andrade Gutierrez, os R$ 5 milhões, era de dívida do PT com João Santana”, revelou aos procuradores.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2952Vk9