Notícias

Os governadores tucanos Geraldo Alckmin (São Paulo) e Marconi Perillo (Goiás) defenderam repatriação que está em discussão no Congresso.

Repatriação de recursos: Alckmin e Perillo defendem proposta

Os governadores tucanos Geraldo Alckmin (São Paulo) e Marconi Perillo (Goiás) defenderam, nesta segunda-feira (17), a proposta de repatriação de recursos no exterior que está em discussão no Congresso. De acordo com matéria publicada pelo jornal Valor Econômico nesta terça-feira (18), Perillo acredita que Goiás pode receber cerca de R$ 150 milhões se o total de recursos repatriados chegar a R$ 50 bilhões. O estado ainda receberá recursos provenientes do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações, liberados pelo presidente Michel Temer na semana passada.

Repatriação de recursos: Alckmin e Perillo defendem proposta
18 de outubro de 2016

Os governadores tucanos Geraldo Alckmin (São Paulo) e Marconi Perillo (Goiás) defenderam, nesta segunda-feira (17), a proposta de repatriação de recursos no exterior que está em discussão no Congresso. De acordo com matéria publicada pelo jornal Valor Econômico nesta terça-feira (18), Perillo acredita que Goiás pode receber cerca de R$ 150 milhões se o total de recursos repatriados chegar a R$ 50 bilhões. O estado ainda receberá recursos provenientes do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações, liberados pelo presidente Michel Temer na semana passada.

“Vamos ser beneficiados duas vezes. Isso será importante para o nosso caixa”, destacou Perillo em entrevista coletiva na 16ª Conferência Internacional Datagro sobre Açúcar e Etanol, realizada em São Paulo. “Goiás será beneficiado, todos os estados serão beneficiados”, afirmou o tucano.

Alckmin também avaliou os benefícios da proposta. “É uma medida importante para trazer recursos para o país e ajudar os estados que têm participação maior [no Fundo de Participação dos Estados], argumentou o governador de São Paulo.

Os tucanos ainda defenderam, durante o evento, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, conhecida como PEC do teto, que estabelece um limite para o aumento dos gastos públicos à inflação dos 12 meses anteriores. “Temos que dar um choque de realidade. O Brasil está à beira da quebradeira”, disse Perillo. Segundo a matéria do Valor, Alckmin também se mostrou favorável a PEC, mas ressaltou a necessidade de uma reforma da previdência “para que ela seja exequível”.

Clique aqui para ler a matéria do Valor Econômico.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2erHufv