Notícias

Votação do impeachment deve acontecer depois dos Jogos Olímpicos

O julgamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff só vai acontecer após o fim das Olimpíadas do Rio, que vão de 5 a 21 de agosto, segundo assessores do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.  O diretor executivo do Comitê Organizador Rio-2016, Sidney Levy, contou que pediu ao presidente interino, Michel Temer, que o julgamento não ocorra durante os jogos, pois o processo pode tirar o foco do evento.

29 de junho de 2016

O julgamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff só vai acontecer após o fim das Olimpíadas do Rio, que vão de 5 a 21 de agosto, segundo assessores do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.  O diretor executivo do Comitê Organizador Rio-2016, Sidney Levy, contou que pediu ao presidente interino, Michel Temer, que o julgamento não ocorra durante os jogos, pois o processo pode tirar o foco do evento.

No dia 9 de agosto haverá a votação da análise do resultado da comissão do impeachment no plenário. Essa é uma das últimas fases do processo. Em seguida, será aberto prazo de 48 horas para a acusação se manifestar e para apresentar a lista de testemunhas sugeridas. A partir do dia 25 do mesmo mês, Lewandowski poderá marcar a data do julgamento final. O presidente em exercício Michel Temer afirmou que a situação do impeachment depende do Congresso Nacional, sem interferência do governo federal.

O senador Dalirio Beber (PSDB-SC) aponta que, apesar das competições neste ano, a sociedade brasileira está amadurecida para levar adiante o impeachment.

“Está transcorrendo na mais perfeita normalidade, apesar do calor dos debates, mas todos eles estão sendo pautados por uma preocupação com a democracia para que todos possam colocar o seu ponto de vista, o seu entendimento, com relação aos fatos levantados e apontados. A sociedade brasileira está suficientemente amadurecida. As nossas instituições suficientemente fortes para poder vencer cada uma das etapas em que qualquer delas interfira na outra.”

Dalirio Beber afirma que a imagem do Brasil foi arranhada pelos os escândalos da gestão petista e que o atual governo tem trabalhado para recuperar a credibilidade do país no exterior.

“Lamentavelmente, a situação do país como um todo, digamos ela, já está hoje denegrindo a nossa imagem lá fora. Afinal de contas, andamos durante anos uma situação que nós não tínhamos. A enganação, a mentira tem provocado desgaste interna e externamente. Eu acho que a credibilidade da nova equipe que está ao lado do presidente interino, ela tem muito mais condições hoje de interagir com o mundo do que o governo que está momentaneamente afastado.”

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/29aH65L