Números

Apesar da crise, Marconi investe R$ 1,5 bi em obras em 2016 e programa investir mais R$ 3 bilhões até 2018

Apesar da crise econômica e financeira que atinge o Brasil, o Programa de Ajuste Fiscal (PAF) estabelecido pelo governador Marconi Perillo – ainda no final de 2014, antes do agravamento da crise econômica nacional no ano seguinte –, garantiu a manutenção dos investimentos do Governo de Goiás em 2016. Levantamento revela que o Estado investiu mais de R$ 1,5 bilhão em obras de infraestrutura, saúde, educação, esporte e lazer no Estado. O governador prevê o investimento de mais R$ 3 bilhões nos próximos dois anos do seu governo.

Apesar da crise econômica e financeira que atinge o Brasil, o Programa de Ajuste Fiscal (PAF) estabelecido pelo governador Marconi Perillo – ainda no final de 2014, antes do agravamento da crise econômica nacional no ano seguinte –, garantiu a manutenção dos investimentos do Governo de Goiás em 2016. Levantamento revela que o Estado investiu mais de R$ 1,5 bilhão em obras de infraestrutura, saúde, educação, esporte e lazer no Estado. O governador prevê o investimento de mais R$ 3 bilhões nos próximos dois anos do seu governo.

Apenas o Sistema Produtor Mauro Borges, que garantirá o abastecimento de água de Goiânia e Aparecida, foi responsável por R$ 1 bilhão. Embora o investimento tenha sido realizado nos últimos 15 anos, a entrada em pré-operação ocorreu em dezembro deste ano, com previsão de funcionamento efetivo a partir de março de 2017.

Sem contar essa obra, o Governo realizou aportes em R$ 507,7 milhões na econômica goiana, num momento de retração e de vulnerabilidade das finanças da grande maioria dos Estados. Em 2016, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul decretaram calamidade financeira. Goiás, no entanto, manteve sua agenda de compromissos legais, como o pagamento da folha de servidores, e investimentos em obras públicas, que movimentam toda a economia.

Os recursos de 2016 foram destinados à conclusão do Estádio Olímpico e do Laboratório de Capacitação e Pesquisa (que integram o Centro de Excelência do Esporte), do Sistema Produtor Mauro Borges, do Parque Marcos Veiga Jardim e da Pista de Skate Lucas Camargo Alves, do Viaduto da Rodovia GO-080 e da ampliação do Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia.

Na relação de grandes obras estão ainda o Centro de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq) e de nova unidade do Instituto Médico Legal, ambos em Aparecida de Goiânia. A Agência Goiana de Transporte e Obras Públicas (Agetop) executou, em todo o Estado, as obras de recuperação e manutenção que totalizam 42 mil quilômetros de rodovias pavimentadas e não pavimentadas. Apesar de Goiás ter 22 mil quilômetros de rodovias pavimentadas e não pavimentadas, vários serviços foram feitos num mesmo trecho, como roçagem das margens, reconstrução, manutenção. Isso explica a totalização de 42 mil quilômetros.

O governador Marconi Perillo afirma que a meta do governo é investir, nos próximos dois anos de gestão, R$ 3 bilhões em obras de infraestrutura e inaugurar até o fim do seu mandato todas as obras já iniciadas pela atual gestão. “Fizemos um forte programa de ajuste fiscal justamente com esse objetivo: garantir os investimentos nas obras importantes para o Estado, a continuidade dos programas sociais e a qualidade dos serviços públicos”, observa o governador, que contará com recursos de pouco mais de R$ 1 bilhão da privatização da Celg D. “Estamos trabalhando para cuidar das pessoas. O objetivo desses investimentos é exatamente esse, melhorar a vida dos goianos”, diz Marconi.

*Do governo de Goiás

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2hTflQE