Números

Após afastamento de Dilma, otimismo dos brasileiros com rumos da economia alcança melhor nível desde dezembro de 2014

O otimismo dos brasileiros em relação à economia do país cresceu consideravelmente desde o afastamento de Dilma Rousseff e atingiu o maior patamar desde dezembro de 2014, revela pesquisa realizada pelo Datafolha nos dias 14 e 15 de julho. De acordo com o levantamento, publicado em matéria do jornal Folha de São Paulo deste domingo (17), o Índice Datafolha de Confiança (IDC) registrado foi de 98 pontos, um crescimento de 11 pontos em relação a fevereiro, quando a petista ainda exercia o cargo de presidente da República.

17 de julho de 2016

O otimismo dos brasileiros em relação à economia do país cresceu consideravelmente desde o afastamento de Dilma Rousseff e atingiu o maior patamar desde dezembro de 2014, revela pesquisa realizada pelo Datafolha nos dias 14 e 15 de julho. De acordo com o levantamento, publicado em matéria do jornal Folha de São Paulo deste domingo (17), o Índice Datafolha de Confiança (IDC) registrado foi de 98 pontos, um crescimento de 11 pontos em relação a fevereiro, quando a petista ainda exercia o cargo de presidente da República.

Na comparação com fevereiro, os entrevistados afirmaram estar mais confiantes sobre cinco dos sete indicadores que integram o índice. O maior avanço foi visto na expectativa de avanço da situação econômica do país, que cresceu de 78 para 112 pontos entre fevereiro e julho. A perspectiva pessoal dos brasileiros também apresentou sensível melhora, passando de 128 para 145 pontos.

Outros itens, apesar de ainda apresentarem pontuação negativa (abaixo de 100 pontos) também mostraram importantes avanços em relação ao mês de fevereiro. O otimismo dos brasileiros cresceu em relação à inflação (que passou de 22 para 40 pontos), ao desemprego (que subiu de 33 para 50 pontos) e também ao poder de compra (que saltou de 44 para 54 pontos).

O estudo ainda mostra que 32% dos entrevistados apontaram a corrupção como o principal problema do país. Saúde (17%), desemprego (16%), violência e educação (ambas com 6%) completam a lista dos cinco maiores problemas identificados pela pesquisa.

Clique aqui para ler a matéria da Folha.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/29OAybC