Números

Mudanças na política de preços dos combustíveis da Petrobras e aprovação em 1º turno da PEC 241 geraram otimismo com a economia brasileira.

Bolsa de Valores reage positivamente a mudanças na economia brasileira

Com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a aprovação em primeiro turno, na Câmara, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 que institui um teto para os gastos públicos, os investidores estrangeiros começaram a apostar novamente no Brasil. De acordo com matéria do jornal Correio Braziliense desta segunda-feira (17), já foram aplicados R$15,2 bilhões em recursos neste ano na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) e, só nos 11 primeiros dias de outubro, outros R$ 2,2 bilhões foram aportados.

Bolsa de Valores reage positivamente a mudanças na economia brasileira
17 de outubro de 2016

Com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a aprovação em primeiro turno, na Câmara, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 que institui um teto para os gastos públicos, os investidores estrangeiros começaram a apostar novamente no Brasil. De acordo com matéria do jornal Correio Braziliense desta segunda-feira (17), já foram aplicados R$15,2 bilhões em recursos neste ano na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) e, só nos 11 primeiros dias de outubro, outros R$ 2,2 bilhões foram aportados. As mudanças na política de preços dos combustíveis da Petrobras, anunciadas pela estatal, também influenciaram no crescimento do otimismo do mercado com a economia brasileira.

Segundo o jornal, entre as 12 importantes bolsas do mundo, o Brasil lidera a valorização do ano, com ganho de 42,5%. Rafael Ohmachi, analista da Guide ouvido pelo jornal, disse que a melhora do cenário político e econômico trouxe o mercado estrangeiro de volta ao país. “Antes do impeachment tinha um cenário escuro, mas hoje há uma melhora da confiança, que ainda é gradual, e esses investimentos vão voltando”, disse.

Analistas consultados pelo Correio também acreditam que pesam a favor dos papéis brasileiros a onda de desinvestimentos promovida pelas companhias e a entrada de novos parceiros nos negócios. No entanto, o mercado aguarda como serão aprovadas em definitivo a PEC do Teto e a reforma da Previdência.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2eqj3QV