Números

Com previsões menores, novo plano de negócios da Petrobras busca recuperar solidez da estatal

Com metas mais tímidas, o novo plano de negócios da Petrobras, divulgado nesta terça-feira, corta em 25% a projeção de investimento da empresa, antes previsto em US$ 98,4 bilhões. No documento, a petrolífera prevê gastar US$ 74,1 bilhões entre 2017 e 2021, 81% desse valor na área de exploração e produção de petróleo. O novo plano também oficializa a saída da Petrobras das atividades de produção de biocombustíveis, fertilizantes, petroquímica e do gás liquefeito de petróleo – o gás de cozinha.

20 de setembro de 2016

Com metas mais tímidas, o novo plano de negócios da Petrobras, divulgado nesta terça-feira, corta em 25% a projeção de investimento da empresa, antes previsto em US$ 98,4 bilhões. No documento, a petrolífera prevê gastar US$ 74,1 bilhões entre 2017 e 2021, 81% desse valor na área de exploração e produção de petróleo. O novo plano também oficializa a saída da Petrobras das atividades de produção de biocombustíveis, fertilizantes, petroquímica e do gás liquefeito de petróleo – o gás de cozinha. Segundo o presidente da empresa, Pedro Parente, a intenção é que a empresa esteja focada, nos próximos anos, em óleo e gás. Para o deputado federal Domingos Sávio, do PSDB de Minas Gerais, o novo plano de negócios foi pautado em uma análise mais realista do mercado. O tucano ressalta que as dificuldades enfrentadas hoje pela Petrobras são heranças do governo do PT.

“O PT conseguiu destruir boa parte da Petrobras. Então é claro que para reconstruir a Petrobras, tem que fazer a partir da verdade e de uma análise de mercado realista. Se você for manter a empresa operando em atividades que não são as principais e, principalmente, se essas atividades dão prejuízo, você está prestando um desserviço à população”, apontou Sávio.

O programa também amplia a venda de ativos, com previsão de vendas de US$ 19,5 bilhões entre 2017 e 2018. Com essa estratégia, a Petrobras planeja recuperar a solidez financeira e reduzir a alavancagem – relação entre dívida e geração de caixa. Domingos Sávio considera importante a preocupação com o quitamento das dívidas e acrescenta que o projeto que altera as regras de exploração do pré-sal, de autoria do ministro José Serra, pode colaborar com as novas ações da estatal.

“Acredito que aprovando aqui na Câmara a mudança na forma de se fazer os leilões, nós poderemos ter também outras ações somadas a essas que façam o setor petrolífero brasileiro voltar a crescer e, com ele, alavancar a economia do país”, destacou o tucano.

Apesar da redução no investimento, o novo plano não deve alterar a meta de produção de petróleo em cinco anos. A Petrobras espera, em 2021, estar produzindo 2,77 milhões de barris por dia no Brasil. A meta do plano anterior era de 2,7 milhões de barris por dia em 2020.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2cHXXRy