Números

Como novo recuo em outubro, queda na produção industrial chega a 8,4% no acumulado dos últimos 12 meses

Após apresentar uma pequena evolução em setembro, a produção da indústria brasileira voltou a recuar em outubro, mês em que o setor registrou uma retração de 1,1% na comparação com o mesmo período no ano passado, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (2). Como destaca matéria publicada pelo portal G1, trata-se da maior queda para o décimo mês do ano desde 2013, quando o recuo foi de 1,5%.

Após apresentar uma pequena evolução em setembro, a produção da indústria brasileira voltou a recuar em outubro, mês em que o setor registrou uma retração de 1,1% na comparação com o mesmo período no ano passado, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (2). Como destaca matéria publicada pelo portal G1, trata-se da maior queda para o décimo mês do ano desde 2013, quando o recuo foi de 1,5%.

Já na comparação com os dados de outubro do ano passado, o recuo total da indústria brasileira é de 7,3%. Nos últimos 12 meses, o setor apresenta uma retração de 8,4%, número superior ao recorde histórico anual de queda da indústria do país, computado no ano passado (8,3%).

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB-PB) avalia que a persistência de um cenário negativo para os indicadores econômicos do país é natural, diante da dimensão dos erros cometidos pelos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff nos últimos 13 anos. Na visão do parlamentar, as medidas para mudar este quadro já estão sendo tomadas pelo governo de Michel Temer.

“[É preciso] ter a coragem de fazer as mudanças necessárias que o Brasil exige. É natural que se leve esse tempo para reagir, o descalabro econômico é de uma dimensão que não se consegue resolver isso em um ano, e o que é preciso é ter coragem de enfrentar, de expor, de ter franqueza com a população, de ter sinceridade com a nossa circunstância, não querer jogar a poeira para debaixo do tapete, tentar empurrar para as próximas gerações esse rombo. É enfrentar e encarar as mudanças que a gente vai precisar fazer”, analisou o tucano.

Setores

A reportagem do G1 ressalta que a maioria das áreas pesquisadas registou queda, segundo o IBGE, com destaque para os recuos dos produtos alimentícios (-3,1%), veículos automotores, reboques e carrocerias (-4,5%), as indústrias de borracha e de material plástico (-4,9%), de metalurgia (-2,8%) e de bebidas (-3,5%).

André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE, disse ao G1 que os atuais patamares da indústria brasileira se assemelham aos vistos no fim de 2008, durante a crise econômica mundial. “O nível de produção que a indústria como um todo opera neste momento é distante 21,6% abaixo do pico registrado em junho de 2013. Em termos de patamar de produção, é como se estivéssemos produzindo algo semelhante a dezembro de 2008, quando estávamos no auge da desaceleração industrial no contexto de crise econômica mundial”, salientou.

Pedro Cunha Lima responsabilizou as maquiagens feitas durante as gestões do PT pelo retrocesso enfrentado pela produção industrial brasileira. “A condução do governo do PT foi na base da ilusão, da maquiagem, da enganação, e aí uma hora chega essa fatura. A crise mundial, que foi superada por vários países pelas mudanças, pelo trabalho, chega nos últimos anos no Brasil com esse acúmulo de políticas equivocadas, de condutas que agravam ainda mais a circunstância. Agora é celebrar que alguns passos estão sendo dados e ter a certeza de que o caminho certo é esse: da mudança, do enfrentamento da situação”, concluiu o deputado.

Clique aqui para ler a matéria do G1.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2fZgadS