Números

Herança Dilma: Desemprego entre idosos cresce 132% em dois anos

A taxa de desemprego entre os idosos aumentou 132% nos últimos dois anos, durante gestão da ex-presidente Dilma Rousseff. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a falta de trabalho entre pessoas com mais de 60 anos passou de 2,05% no último trimestre de 2014 para 4,75% no segundo trimestre de 2016. Os números do Ipea também mostram que a quantidade de pessoas trabalhando nessa faixa etária aumentou durante a recessão.

21 de setembro de 2016

A taxa de desemprego entre os idosos aumentou 132% nos últimos dois anos, durante gestão da ex-presidente Dilma Rousseff. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a falta de trabalho entre pessoas com mais de 60 anos passou de 2,05% no último trimestre de 2014 para 4,75% no segundo trimestre de 2016.

Os números do Ipea também mostram que a quantidade de pessoas trabalhando nessa faixa etária aumentou durante a recessão. Em 2014, eram 20,7 milhões de idosos com emprego no Brasil. Já em junho deste ano, o  número passou para 21,4 milhões de brasileiros com mais de 60 anos trabalhando.

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO) lamenta a quantidade de idosos sem emprego e acredita que a situação é reflexo da má administração do governo anterior.

“A gente começa a perceber que ainda vamos ter reflexos futuros de um governo que teve uma má gestão e não pensou nas pessoas, e principalmente, nos nossos idosos. E ainda mais que nessa faixa etária dos nossos idosos, é uma condição que eles têm de ter uma ocupação,  de ter uma oportunidade de continuar trabalhando. A gente fica muito frustrado com esse número, com esse aumento de 132% de desemprego na faixa dos idosos.

O pedreiro José Ribamar da Silva tem 64 anos de idade e, desde o mês de março, está sem trabalho. O último emprego foi em uma empresa de construção civil, que faliu e todos os funcionários foram demitidos. José Ribamar conta que, apesar das dificuldades, ainda tem esperança de melhorias na sua situação.

“E bota difícil nisso. O negócio tá feio, mas seja o que Deus quiser, né? Tem que se virar no pouquinho que eu tenho, né? O que eu penso é que eu vou procurar alguma coisa, o que eu sei fazer. Porque com fé em Deus não vai ficar assim toda vida, né? Com esse mexe e vira na Presidência [da República] deve melhorar alguma coisa.”

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2d2hYk9