Números

Quase 75% da queda do poder aquisitivo dos brasileiros é provocada pela alta geral nos preços. Desemprego já está em torno de 11,8%.

IBGE: queda na renda é provocada por alta de preços e desemprego

Quase 75%  da queda do poder aquisitivo dos brasileiros é provocada pela alta geral nos preços. O restante é justificado pela perda de ocupação no país, que já está em torno de 11,8%.  Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE (Pnad), em relação ao terceiro trimestre de 2016. De acordo com o IBGE, a queda de renda do trabalhador, nos trimestres encerrados em julho e agosto, revelou recuo menor em relação ao mesmo período de 2015, com diminuição de 4,8% e -3,7%, respectivamente.

IBGE: queda na renda é provocada por alta de preços e desemprego
19 de outubro de 2016

Quase 75%  da queda do poder aquisitivo dos brasileiros é provocada pela alta geral nos preços. O restante é justificado pela perda de ocupação no país, que já está em torno de 11,8%.  Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE (Pnad), em relação ao terceiro trimestre de 2016.

De acordo com o IBGE, a queda de renda do trabalhador, nos trimestres encerrados em julho e agosto, revelou recuo menor em relação ao mesmo período de 2015, com diminuição de 4,8% e -3,7%, respectivamente. O pior momento desde o início da crise até agora foi registrado no trimestre que acabou em junho deste ano, quando a renda do trabalho caiu 5,6% em termos reais.

O deputado federal Paulo Martins (PSDB-PR) destaca que a situação foi construída pela má administração do governo petista no Brasil, especialmente com a crise econômica da gestão Dilma Rousseff. “O caos não é construído do dia pra noite. Os governos do PT, os sucessivos governos do PT proporcionaram essa realidade. Comprometeram o fundamento da economia, o descontrole total das contas públicas. E isso coloca toda a cadeia produtiva em dificuldade, e também o setor de consumo.”

Paulo Martins também citou as medidas adotadas pelo novo governo para tentar reequilibrar as contas do país. O tucano considera as mudanças imprescindíveis para salvar o Brasil da crise econômica.

“Acho que o governo vem tomando já as medidas corretas. A PEC que limita os gastos no setor público é um avanço enorme nesse sentido, que vai fazer com que uma disciplina fiscal seja imposta de uma forma mais rigorosa. Outros pontos importantes são destravar a cadeia produtiva de forma em questões tributárias, e isso vem sendo discutido na Câmara, e também a legislação trabalhista que hoje no Brasil se torna muito onerosa a contratação. Tudo isso ajuda e já vem sendo discutido.”

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2e6NHRj