Números

Pelo 19º mês seguido, Brasil fecha mais postos formais de trabalho do que abre

O desemprego continua batendo na porta dos trabalhadores diante da crise deixada pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff. De acordo com matéria do portal G1, dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira (24) pelo Ministério do Trabalho apontam que 74.748 postos formais de trabalho foram fechados no Brasil. Também foi registrada a demissão de 1,5 milhão de trabalhadores com carteira assinada nos últimos 12 meses até outubro.

O desemprego continua batendo na porta dos trabalhadores diante da crise deixada pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff. De acordo com matéria do portal G1, dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira (24) pelo Ministério do Trabalho apontam que 74.748 postos formais de trabalho foram fechados no Brasil. Também foi registrada a demissão de 1,5 milhão de trabalhadores com carteira assinada nos últimos 12 meses até outubro.

É o 19º mês seguido com mais demissões do que contratações na economia brasileira. No entanto, o resultado é melhor do que o mesmo período do ano passado, quando foram fechados 169.131 postos de trabalho.

Para o senador Ataídes de Oliveira (PSDB-TO), o aumento do desemprego ainda é fruto das equivocadas políticas econômicas dos governos petistas. “Essa fatura não é do presidente Temer. A economia de um país não se conserta do dia para noite, o estrago foi muito grande. O desemprego, depois que Temer assumiu, já não é mais ‘galopante’ como até 12 de maio de 2016, mas evidentemente vai ainda continuar e o número divulgado em outubro não me assusta. Estou otimista que o Brasil vai voltar a crescer a partir do próximo ano e os empresários vão voltar a investir, produzir e gerar empregos”, pontuou o tucano.

Na avaliação do senador, a pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (22) é mais precisa para calcular o desemprego. “O IBGE fez agora uma pesquisa paralela na qual chega mais próxima da realidade. Nessa semana, por exemplo, o IBGE soltou uma pesquisa dizendo que o Brasil tem 22,9 milhões de pessoas desempregadas”, ressaltou.

Segundo o G1, o comércio foi o único setor que registrou contratações em outubro deste ano, com 12.496 trabalhadores admitidos. Em contrapartida, a construção civil foi o setor que mais demitiu (33.517 postos formais fechados), seguida pelos serviços, com demissão de 30.316 trabalhadores com carteira assinada. As demissões foram registradas em quatro das cinco regiões do país no mês passado – apenas no Sul houve a abertura de 3.266 vagas formais. O Sudeste liderou as demissões (-50.274), seguida pelas regiões Centro-Oeste (-14.153), Nordeste (-7.315) e Norte (-6.272).

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2gGxp3L