Números

Prévia da inflação perde força e fica em 0,19% para outubro, menor taxa para o mês desde 2009

O Índice de Preços ao Consumidor-Amplo 15, considerado uma prévia da inflação oficial, dá os primeiros sinais de reação da economia diante da nova conjuntura política, com recuo de 0,19% em outubro deste ano. O resultado mostra desaceleração em relação ao mês de setembro, quando o indicador havia mostrado alta de 0,23%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, o resultado deste outubro é o melhor para o mês desde 2009.

21 de outubro de 2016

O Índice de Preços ao Consumidor-Amplo 15, considerado uma prévia da inflação oficial, dá os primeiros sinais de reação da economia diante da nova conjuntura política, com recuo de 0,19% em outubro deste ano. O resultado mostra desaceleração em relação ao mês de setembro, quando o indicador havia mostrado alta de 0,23%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, o resultado deste outubro é o melhor para o mês desde 2009. O deputado federal Rodrigo de Castro, do PSDB de Minas Gerais, acredita que o novo governo proporciona melhores condições para combater a inflação.

“Agora nós temos um novo horizonte econômico, mais confiança dos agentes e, portanto, a possibilidade de acabarmos com esse mal da inflação, e que deve ser prioritário, porque é algo que corrói o bolso do consumidor, especialmente dos mais humildes. E o PT abandonou toda a nossa sociedade ao permitir – por conta das suas políticas econômicas heterodoxas – a volta da inflação”, declarou o tucano.

Em contrapartida à redução dos preços, os custos com habitação e transporte subiram 0,6% e 0,67% respectivamente. Rodrigo de Castro reconhece que o processo de queda nos preços será lento, mas destaca que algumas medidas podem atuar especialmente nesses setores que ainda  pesam no bolso dos brasileiros. O tucano lembra que a nova política de preços da Petrobras e o anúncio do aprimoramento do programa Minha Casa Minha Vida devem  impactar positivamente no custo desses itens.

“A administração da Petrobras é nova. E no Ministério das Cidades, o ministro Bruno Araújo tem feito um esforço hercúleo para sanear o programa Minha Casa Minha Vida. Domar a inflação é uma tarefa muito grande, que não acontece em um passe de mágica. Será um trabalho duro, persistente, mas com certeza quem vai sair ganhando é a sociedade brasileira”, destacou Rodrigo de Castro.

O preço de alimentos e bebidas registrou deflação de 0,25%. Entre as quedas nesse grupo, destacam-se o leite longa vida, que ficou 8,49% mais barato, a batata-inglesa, com redução no preço de 13,03%, e o feijão-carioca, com queda de 6,17%. Durante meses, esses itens foram os grandes vilões da inflação no país.

Fonte: Site do PSDB

Link para ler no original: http://bit.ly/2dVmzBR